GêneroMaracatu Rural
LocalPernambuco, Recife

SOBRE

O Maracatu Cruzeiro do Forte é uma reinvenção da tradição rural no meio urbano. Ele foi fundado no dia 7 de setembro de 1929, durante a limpeza de uma cacimba no bairro dos Torrões, quando um grupo de trabalhadores recém chegados do interior do estado, após uma brincadeira durante o serviço, resolve criar um Maracatu para relembrar os tempos de vida na Mata Norte de Pernambuco.

Entre seus fundadores destacam-se José da Mota, Manoelzinho, Antonio Carneiro, Elias Carneiro e José dos Santos, que vieram de cidades do interior de Pernambuco como Paudalho, Timbaúba e Nazaré da Mata. O Maracatu Cruzeiro do Forte é o mais antigo do Recife e o terceiro mais antigo do Estado em atividade.

Em 1936, um conflito entre diretores do Maracatu dividiu o grupo em dois: um continuou Cruzeiro do Forte, o outro passou a se chamar Almirante do Forte, mudando para Baque Virado, ou seja, passando a ser Maracatu Nação. Em 2000, a então presidente Dona Netinha encarregou sua filha Maria da Conceição (Ceça) de manter viva a tradição. O monumento que dá nome ao Maracatu Cruzeiro do Forte foi construído para homenagear os combatentes da Batalha dos Guararapes, durante a Insurreição Pernambucana, movimento que expulsou os holandeses do nordeste brasileiro. No local funcionava uma base militar Luso-brasileira que se chamava Arraial do Forte do Novo Bom Jesus.

 

Fonte:

Maracatus de Baque Solto

VÍDEOS

Maracatu Cruzeiro do Forte – 24/fevereiro/2004

Veja também

Rio de Janeiro
Jongo